Divirta-se Comportamento - Esquecer mágoas faz bem ao corpo e à alma - Diarioweb
Comportamento
 
Chega de amargura
São José do Rio Preto, 21 de Março, 2012 - 2:10
Esquecer mágoas faz bem ao corpo e à alma

Elen Valereto

Lézio Jr.


Quem nunca se sentiu ferido por alguém que gosta? A ferida, de tão profunda, não conseguiu cicatrizar. Ficou ali, machucando ao longo de dias, meses e anos. Esse sentimento, conhecido como mágoa, afeta milhares de pessoas, causando dor e rancor. De acordo com a psicoterapeuta, master e trainer em Programação Neurolinguística, Dalva Almeida, a mágoa é uma doença, pois causa dor na alma e no corpo devido à tortura interior que tira a paz e até o sono. “A mágoa não nos deixa esquecer o passado e faz com que não consigamos viver bem o presente. Uma pesquisa feita com dezenas de vítimas de problemas cardíacos revelou que 80% dessas pessoas eram rancorosas”, afirma.

O psicólogo e psicoterapeuta Renato Dias Martino concorda. Para ele, vários problemas de saúde são estimulados por dificuldades psicológicas.“Não é novidade que inúmeras enfermidades físicas se originam de um ressentimento. Aquilo que é ressentido constantemente na mente tende a criar um representante no corpo, para ser cultivado de forma inconsciente como símbolo dessa mágoa. ”Além de se manifestar fisicamente, a mágoa pode dificultar os relacionamentos, pois incapacita o amor, paralisa a sequência da vida e deixa cada vez mais forte o ressentimento.

O perdão pode tornar-se cada vez mais difícil, principalmente pela lembrança do mal sofrido, que sempre vem à tona provocando sensação de sufoco e mal-estar intermináveis. Reviver por meio de sentimentos o que já se passou - mas não foi resolvido - é o que mantém vivas e presas no coração todas as mágoas. “E com o ferimento sempre exposto, a pessoa se mantém presa ao passado. A raiz dos transtornos mentais, como as neuroses, está justamente no desejo que ficou no passado”, afirma Martino. Viver remoendo mágoas passadas é dar abertura também para a raiva e ao posto de vítima. É transformar-se em prisioneiro de si mesmo.

A atitude de conceder o perdão ou colocar um ponto final no que aconteceu só depende de si mesmo, pois ninguém pode fazer isso pelo outro. Em alguns casos, a distância de alguém que não se vê há tempos ou já se foi pode atrapalhar o processo para se separar das mágoas. O que acontece é que essas pessoas acreditam que não podem mais ser perdoadas ou conceder o perdão. Entretanto, o simples ato de ter intenção de perdoar ou de ser perdoado condiciona para a limpeza no coração e na consciência. Segundo Dalva, a dificuldade pode estar ainda na crença de que a mágoa sempre estará presente e que não pode ser dissolvida. “O pensamento que acompanha essas pessoas é: ‘Alguém me magoou, então essa mágoa faz parte de mim para sempre’”.

Muitas vezes, a pessoa que se sente magoada cultiva tal sentimento pejorativo para manter uma certa ligação com quem a magoou. Mesmo que estranha, é uma forma de se sentir unida, e não abandonada. “Na verdade, aquele que se mantém magoado com alguém está depositando no outro uma frustração que não é capaz de suportar dentro de si mesmo. Não se acha capaz de amar e dar sustentação para esse amor”, destaca o psicoterapeuta. Um dos impedimentos mais comuns é acreditar que perdoar e mandar as mágoas embora é sinônimo de fraqueza, quando é exatamente o contrário. Descarregar o rancor é abrir caminhos para a aproximação de bons sentimentos e fortalecer o próprio destino, por mostrar que é dono de si.

É quase como o funcionamento da lei da atração, voltada aos sentimentos. Sinta o bem e terá apenas emoções positivas, afastando tudo o que não for bom. Não haverá somente mais ânimo e disposição para dar andamento a projetos, como ainda facilitará as relações sociais, limpando e revigorando a alma, antes consumida por uma vida cheia de mágoas. Mas, para isso, é preciso compreender primeiro o que causou a mágoa e se houve tal intenção. Pode acontecer de a mágoa ter sido produzida sem esse objetivo. E, mesmo que a pessoa quisesse provocar esse efeito, o magoado deve entender que a dor somente machucará a ele, portanto, deve buscar ao máximo a sua “absolvição”. “Essa é a melhor maneira de se livrar da mágoa. Saber que quem consegue fazer isso é o beneficiado”, orienta Dalva.

A busca pela conquista da paz interior e pela cura da mágoa que corrói a alma deve ser incessante. Após a decisão de mandar a mágoa para bem longe, os próximos passos a serem dados estão relacionamentos ao cultivo de bons sentimentos. “O cultivo de elementos afetivos e de conhecimentos claros da realidade é o fundamento do modelo de vínculo, capaz de desintoxicar uma mente envenenada de ideias destrutivas e emperrada nas mágoas. Daí por diante, consciente das limitações e fragilidades, é muito interessante se afastar de qualquer que seja a ligação que possa sugerir decepções drásticas”, destaca Martino.

Para o profissional, a mágoa é uma forma de funcionamento mental que encontra com frequência seus “colaboradores”. Por isso, para estar liberada das mágoas, é importante estar atento a quem provocou feridas. “Manter-se ligado a alguém assim é manter-se exposto a novas mágoas”, diz.





Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

 
     
› MAIS COMPORTAMENTO
17 de setembro, 2014
‘Mãe, de onde vêm os bebês?’

14 de setembro, 2014
Paulo Lins é referência no debate sobre questões raciais

11 de setembro, 2014
Feminismo é tema de encontro na Unesp

07 de setembro, 2014
Raí: exemplo dentro e fora dos gramados

06 de setembro, 2014
Maicon e realização do sonho de ser um fotógrafo artístico

05 de setembro, 2014
Felizes entre quatro paredes na Terceira Idade

Leia mais sobre Comportamento
Raiva depressão raiva mágoas depressão
 
 
Acervo
Revista Vida e Arte
Negócios em Pauta
Condominium
Imóveis
(17) 4009-3333
Locall
Imóveis
(17) 3355-1090
 
 
Bemac
Máquinas de costura
(17) 3234-3687
Home | Institucional | Economia | Cidades | Geral | Esportes | Saúde | Política | Estradas | Tecnologia | Educação | Meio Ambiente | Sirva-se | Olá | Opinião | Artigos | Editorial | Opinião do leitor | Classificados | Divirta-se | Atendimento | Promoções | Fotojornalismo | Vídeos | PodCasts | Blogs | RSS | Jornal na Educação
Diarioweb® Todos os direitos reservados // Atendimento Design e desenvolvimento MagicSite