Tratamento
Esporão é inflamação no pé que provoca dor alucinante
São José do Rio Preto, 6 de Abril de 2005
  Orlandeli/Editoria de Arte  

Cecília Dionizio

11:08 - Uma situação desconfortável é identificada pela pessoa ao levantar-se da cama, normalmente. De início parece um repuxo na sola do pé. Os dias passam e a dor aumenta, a ponto da pessoa já não conseguir mais se manter em pé por muito tempo. O diagnóstico: esporão de calcâneo. É o nome científico dado a uma inflamação da fáscia plantar, estrutura que se estende por toda a planta do pé, de acordo com o ortopedista Helencar Ignácio, médico da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital de Base de Rio Preto. “Existem dois tipos de esporão, o da planta do pé e o que acomete o tendão de Aquiles”, diz. O mais comum, segundo o ortopedista rio-pretense, é o esporão de calcâneo inflamar e provocar a fasceíte plantar, ou seja, uma proeminência óssea na sola do pé, que costuma incomodar muito logo que o pé é colocado no chão, após um período de repouso, no caso durante o sono. “Em geral, a inflamação é provocada pelo atrito com calçado inadequado, no caso de saltos altos e também tênis usados de forma irregular para caminhadas”, diz.

Quem sofre com o problema é a secretária Cristiane Queiróz, 33 anos, que há dois começou a sentir a dor na sola do pé, logo que se levanta da cama e também quando permanece em pé por mais de meia-hora. “É uma dor tão insuportável que tenho de ficar descalça em cima de almofadas se precisar mesmo permanecer em pé. O problema é que sempre trabalhei de salto alto e agora mal consigo calçar um. Sinto bem quando uso um salto médio, mas gosto mesmo é dos altões”, diz. O médico explica que a inflamação, em 90% dos casos, é tratada de forma conservadora, ou seja, é preciso utilizar palmilhas apropriadas para absorver o impacto da caminhada. Além disso, é importante realizar o alongamento da fáscia plantar e usar mini-salto de no máximo três (3) centímetros, elevando o calcanhar. Isso vai diminuir o estiramento da fáscia. Além de antiinflamatórios receitados pelo médico, é importante emagrecer quando há excesso de peso. De acordo com Helencar Ignácio, as pessoas costumam se queixar também do esporão de calcâneo, que acomete a parte posterior do pé e implica acúmulo de cálcio no tendão de Aquiles, que também fica inflamado, levando a uma dor insuportável.

Vítima dessa situação, a dona-de-casa Maria Benedita Almeida, 58 anos, conta que foi preciso recorrer a cirurgia nos dois pés, pois já não suportava mais andar. “Se arrependimento matasse nunca teria operado. Hoje, além de dor, meus pés são supersensíveis e quase não há calçado que os acomode sem doer”, diz. Na verdade, o ortopedista observa que as indicações cirúrgicas são restritas ao esporão de calcâneo no tendão de Aquiles apenas em 30 a 50% dos casos. “Isto após pelo menos seis meses de tratamento conservador, que é o mesmo indicado para a fasceíte plantar, exceto pela palmilha, que em vez de reta terá uma pequena elevação para manter o calcanhar elevado. Só então, se de fato não surtir o efeito esperado, será analisada a necessidade de cirurgia”, diz.

O médico explica que antes disto, ainda são realizados exames, complementares ao Raio-X, que identificarão se houve ruptura parcial ou degeneração do tendão. “Exames como esse ajudam a dar o diagnóstico caso haja uma tendinite ou tendissinovite, inflamações agudas que também precisam de alongamento e cuidados”, diz. Em muitos casos, quando o problema é severo demais, o médico, antes de operar, ainda recomenda uma terapia baseada em eletro-choques, técnica que segundo ele tem trazido excelentes resultados. Já segundo a farmacêutica Sirlene A. R. da Costa, da Botica Beleza, de Rio Preto, muitos dos seus clientes fazem uso de um creme à base de castanha-da-Índia com cânfora, que ela utiliza para massagear a planta do pé. E também o uso de um antiinflamatório natural, conhecido como unha-de-gato. “Se a pessoa associa a massagem com o creme, ao uso da palmilha, mais o calçado adequado, obtém alívio em menos de três meses”, afirma.

Eletrotermoterapia auxilia
Uma das técnicas opcionais usadas no tratamento fisioterápico é a eletrotermoterapia. De acordo com a fisioterapeuta Paula Moreira Pierami, especialista em terapia manual, a utilização do ultra-som tem uma ação específica sobre os plexos terminais nervosos. “Ao serem estimulados, ocorre uma vasodilatação automática que chamamos de reflexa dos capilares e arteríolas, aumentando o metabolismo e o fluxo sangüíneo”, diz. A fisioterapeuta observa que numa explicação mais científica, é possível notar nessa situação a ocorrência da estimulação nervosa aferente, que acaba por provocar a depressão pós-excitatória da atividade do sistema nervoso ortossimpático. “E isto vai produzir o relaxamento muscular e a vasodilatação necessária”, diz.

Na parte interna o que ocorre é a ação antiinflamatória, que por reabsorver o inchaço, acaba por melhorar o retorno venoso e linfático, graças à permeabilização celular da circulação e micromassagem produzidas pelo ultra-som. A analgesia é decorrente da diminuição da excitabilidade das fibras nervosas aferentes (nervo que conduz estímulo em direção ao centro nervoso), sensitivas, através do aumento do seu limite de despolarização - a membrana celular permite a passagem de íons aos quais, normalmente, é impermeável, provocando a diminuição dos estímulos dolorosos, entre outros.

Serviço:
- Helencar Ignácio, ortopedista do Hospital de Base e Santa Casa de Misericórdia de Rio Preto, fone (17) 227-8800
- Sirlene A.R. da Costa, farmacêutica da Botica Beleza, fone (17) 235-1918
- Rosiley Solange Cosenza Dourado é doutora em fisioterapia, pilates e hidroterapia, fone (17) 235-4203,
- Paula Moreira Pierami é fisioterapeuta, especialista em terapia manual, fone (17) 235-4203

Entenda melhor o esporão de calcâneo:


:: Esporão de calcâneo é uma deformação óssea que ocorre, em geral, em reação a uma inflamação ocorrida na planta do pé, denominada de fasceíte plantar. Essa inflamação acomete pelo menos 50% das pessoas que têm o problema. É uma inflamação da aponeurose plantar com um ponto de inserção no calcâneo

:: A dor se manifesta na região plantar quando se realiza a descarga de peso na região, sendo mais intensa no início da manhã e durante atividades prolongadas na posição estática

:: O paciente deve ser avaliado como um todo, pois a alteração compromete sua postura, modo de andar e suas atividades diárias

:: Após uma avaliação minuciosa, chegamos à conclusão fisiodiagnóstica e detalhamos o tratamento. O objetivo principal é o alívio da dor, melhora na marcha e postura que também se apresentam alteradas

Tratamento fisioterapêutico:

:: A eletrotermoterapia objetiva proporcionar a anestesia e o alívio da inflamação. Além disso há alongamento; relaxamento muscular; orientação postural (andar utilizando um saltinho no sapato e uso de palmilhas); hidroterapia - com uso da técnica Deep Water, que consiste em se exercitar na piscina profunda e aquecida

:: Há outros tratamentos que se valem da condução do calor e das diversas propriedades físicas da água, como a pressão hidrostática, o empuxo. Todos esses, fatores promovem uma série de alterações fisiológicas em vários sistemas do organismo, sem ação da gravidade, portanto o cliente trabalha seus movimentos com uma amplitude maior e sem impacto

:: A pessoa tem de ser tratada por inteiro e não apenas a parte afetada, uma vez que esta patologia decorre de alterações não apenas locais, mas também posturais resultantes de desequilíbrios musculares Terapia manual Este é um outro recurso utilizado pela fisioterapia que visa restabelecer o equilíbrio músculo-esquelético através do contato manual, baseado na capacidade do organismo de autocura e reequilíbrio O tratamento se torna mais satisfatório quando tanto o profissional quanto o paciente fazem a sua parte. Dentre elas, seguir as orientações médicas e fisioterápicas, perder peso (quando necessário) e utilizar calçado adequado. Tudo isto vai auxiliar no tratamento

Fonte - Rosiley Solange Cosenza Dourado, da Clínica Consenza, de Rio Preto