Benditos os que exercitam a prática das orações
São José do Rio Preto, 18 de Abril de 2002
  Editoria de Arte  

Luisa Borges

Desde os mais remotos tempos, quando o homem ainda não entendia os fenômenos da natureza e atribuía a cada um deles a manifestação da força ou da vontade de um ente superior ou divindade, ele aprendeu a render algum tipo de homenagem a essa presença, cuja natureza desconhecia. Possivelmente, uivos e grunhidos tenham sido as primeiras formas de manifestação dessa homenagem, além de sacrifícios e rituais que aos poucos foram se disseminando. Nesse contexto, as orações foram se tornando comuns. Mesmo um sacrifício ritual sempre envolvia algum tipo de oração quando a oferta era feita. Os conceitos religiosos, à medida que foram se tornando mais acessíveis, deram origem a novas orações, todas logo incorporadas ao repertório popular. Albert Hamman, autor de vários livros sobre a história das orações, diz que “antes de mais nada, a oração é mais um estado de espírito do que uma relação consciente com Deus; é a emergência, o pedido de socorro que se manifesta e se expressa”.

O pesquisador Luiz Câmara Cascudo, em sua obra sobre o folclore brasileiro, analisa as várias formas de prece. Para ele, oração é uma maneira de se fazer um pedido a Deus; oração-forte é uma súplica dirigida a Deus ou aos santos, mas que não deve ser usada indiscriminadamente; reza-de-defunto é o conjunto de orações rezadas em voz alta ou cantadas diante de um morto; breve é um saquinho de pano ou couro contendo uma oração; benditos são cantos religiosos que acompanham as procissões; ensalmos são orações supersticiosas compostas ordinariamente de palavras tiradas dos salmos, com que os curandeiros e impostores prometem curar enfermidades; excelência é canto do cerimonial de velório, rezado especialmente no Nordeste. As preces populares são instrumentos da religião e da cultura popular. No Brasil, estão presentes em várias situações, seja por devoção ou para obter algum tipo de benefício. Sua importância é tanta que é comum encontrá-las nos jornais diários das grandes metrópoles. Elas existem há séculos e seus recitadores as entendem como orações, pois, no final, a maioria, acrescenta a obrigação de rezar pai-nossos ou ave-marias.

As preces populares brasileiras, na sua grande maioria, não foram criadas no Brasil, mas vieram de Portugal, no período colonial. Entretanto, há registros da presença de orações populares desde o período da inquisição. Muitas têm grande aceitação entre o povo, mas não são aceitas pela Igreja. Grande parte das orações populares anda de mão em mão, impressa em pequenos folhetos ou amarrada ao pescoço, em forma de breve. São orações anônimas, atravessaram os séculos e resistiram às transformações e mudanças de costumes. Segundo os pesquisadores, nem todas as orações têm o mesmo valor. Algumas são consideradas de grande poder: são as chamadas orações “fortes” ou “bravas”, que desfazem os males, ou resolvem situações complicadas. Algumas só têm valor quando acrescidas de palavras de origem latina, grega ou hebraica. Por outro lado, a eficácia da oração, na maioria das vezes, depende do tempo propício ou dos momentos do dia a que se destinam, como o nascer do sol, a saída de casa, a tempestade, o crepúsculo etc. Atualmente, pode-se encontrar orações populares nas bancas de jornais, em livros com títulos chamativos, com a finalidade de encontrar solução para problemas de amor, saúde e para as adversidades do cotidiano.

Orações lembradas por gerações
As orações nos acompanham por toda a vida. Até mesmo para antes de nascer tem a oração do Bom Parto, na qual se suplica à Virgem um parto com sucesso. Acredita-se que toda mulher que trouxer consigo esta oração no pescoço, rezando todos os dias sete ave-marias e uma salve-rainhas, sete dias antes do parto, terá sempre junto ao seu leito a Virgem Santíssima do Bom Parto. Acompanham-na a oração para logo depois de nascido. Depois, há a oração para a dentição e a de Nossa Senhora dos Remédios. Para quando a criança já fala, existe a oração para a hora de dormir e a oração para levantar da cama. “Nesta cama me deito, desta cama me levanto, a Virgem Nossa Senhora me cubra com o seu manto. Se eu coberto com ele for não terei medo nem pavor, nem coisa que deste ou outro mundo for”. Depois vêm as rezas para obter favores, curas, sucesso nos amores e nos negócios, além das orações para afastar os males e todos os perigos.

Segundo o historiador Paulo César de Castro, há mais de mil orações para todos os santos, como: a oração de São Bento, para pedir proteção contra todos os perigos; de Santa Luzia, para os olhos; de Santa Bárbara, para afastar os perigos dos raios e trovões; de Santo Expedito, para os casos desesperados; oração de Santo Antônio, para encontrar coisas perdidas ou arrumar marido; de Santa Edwiges, para quem está endividado, entre outras. Há até orações para santos que a Igreja desconhece e que nunca foram canonizados, como a oração de São Gurmim, boa para a dor de calos, ou a de Santa Puiúna, infalível nas nevralgias. Entre as orações populares, a Oração do Santo Lenho de Nosso Senhor Jesus Cristo é considerada uma das mais poderosas para evitar todo tipo de perigo. Acredita-se que quem trouxer consigo esta oração e tiver fé, além de estar livre de qualquer mal, será feliz e bem-aventurado. Confira como é a oração:

“Deus vos salve cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, com a cruz eu me benzo, oh! santo precioso Lenho em que Nosso Senhor Jesus Cristo foi crucificado para amparar-me e salvar-me do mortal pecado, do poder do demônio no inferno e das cruentas chamas do purgatório e do poder dos meus inimigos carnais e espirituais. Eu me benzo com a Santa Cruz de Jesus Cristo, em nome de Deus Pai, Deus Filho, de Deus Espírito Santo e de Maria Virgem pura, com o seu divino santo. Deus Santo, Deus imortal que eu me encante diante dos meus inimigos que não tenham poder de me ofender. Pés tenham e não me persigam, mãos tenham e não me ofendam, olhos tenham e não me vejam. Serei salvo de seu furor; deles não terei medo e nem pavor, andando de dia ou de noite, serei salvo de toda perseguição, serei salvo com o poder de Deus Pai, Deus Filho, de Deus Espírito Santo do cruel contágio pestífero, da terrível mortandade e do cruel flagelo da guerra. Serei salvo de todas as dores cruciantes e opróbrios no meu corpo, serei salvo e curado com o poder de Nosso Senhor Jesus Cristo, de dor de dente, dor reumática, dor de gota, dor no ventre, dor de cabeça, dor no coração, dores no corpo.

Serei salvo com o poder de Deus Pai, Deus Filho, de Deus Espírito Santo, da santa cruz de Jesus Cristo, da hóstia consagrada e do cálix bento; amparado e guardado serei eu, entre a cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo e o manto sagrado da Virgem Nossa Senhora que serei salvo de raio mortal, do veneno peçonhento do cão danado, da mortal serpente, do intento e traição mortal dos meus inimigos carnais; serei salvo do tiro mortal, da faca e do punhal com a cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, o sagrado Lenho onde foi cruelmente chagado e morto o nosso bom Jesus; confiando em seu infinito amor, todos os meus pecados e crimes serão perdoados. De toda chaga maligna e cruel do meu corpo, por Jesus serei curado; todo mal que comigo tiver de acontecer será afastado, assim como se afastaram os inimigos de Cristo, sejas comigo cruz de Cristo, encantai-me diante dos olhos de meus inimigos andando de dia ao meio-dia; de noite serei salvo com o poder de Deus Pai, com o poder de Deus Filho com o poder de Deus Espírito Santo.

Deus por mim e ninguém contra mim; serei salvo do poder e força da justiça, serei salvo da morte de desgraça de qualquer sorte; serei salvo das prisões perigos e aflições de toda sorte. Deus por mim ninguém é contra mim, porque serei amarrado, guardado e encantado no sagrado manto da Virgem Maria, Jesus Cristo pelo poder da hóstia consagrada e o cálix bento na hora da Sagrada Missa. Deus por mim e ninguém contra mim. Salvo sou, salvo serei, salvo andarei, digo com o poder de Deus Pai, de Deus Filho, de Deus Espírito Santo e a rainha dos céus, que serei salvo de toda sorte de desgraça misérias e alcançarei o perdão dos meus pecados e a salvação de minh’alma. Amém”. No final, reza-se um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Creio em Deus Pai, oferecendo em intenção das cinco chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Rezas que são rituais de cura
Conhecidas em todo o Brasil, as rezas são também rituais de cura, praticados principalmente nas regiões rurais. Geralmente são feitas junto com benzimentos para doenças específicas e outras que servem para qualquer doença. Muitas destas rezas foram bastante difundidas no Brasil a partir do contato com os índios, que através dos seus pajés realizavam rituais onde faziam benzimentos das pessoas enfermas. Com a chegada dos africanos, muitas outras rezas também foram espalhadas pelo País, até que os primeiros mestiços começaram a utilizá-las como mecanismo de cura. No ritual da cura, não se separam corpo e alma. Por isso muitas rezas visam não só a cura do corpo, mas também a cura do espírito enfermo, ou apenas a cura espiritual. Boa parte serve para curar doenças, outras para estancar sangue numa ferida, para casos em que a pessoa se engasga, para dor de dente, dores diversas, para eliminar vermes, curar doenças de pele como o cobreiro, para inflamações como a íngua, além de possessões do demônio ou encosto de espíritos do mal e muitas outras coisas. Algumas orações não podem ser reveladas, pois o seu segredo faz parte da cura. É por isso que em algumas orações não se consegue entender o que a rezadeira diz.

Feliz daquele que abençoa e reza
Os pais e padrinhos dão a bênção a seus filhos e afilhados. Os católicos se benzem antes de qualquer ação importante ou ao passar diante de uma capela ou igreja. Os espíritas dão “passes” aos que estão com energias negativas. Os evangélicos fazem orações e cultos nas horas alegres e tristes de seus irmãos. Tudo é oração e a rezadeira tem um papel importante como intermediária entre quem vai à sua procura no intuito de curar-se de algum mal e os santos para os quais a reza é destinada. Em algumas regiões do Brasil as rezadeiras são conhecidas também por “curandeiras” ou “benzedeiras”. Entre os séculos 16 e 18, essas mulheres eram vistas como uma espécie de “feiticeiras”. Foram perseguidas, oprimidas, punidas, rejeitadas e algumas até condenadas a serem lançadas, ainda vivas, nas “santas” fogueiras do Santo Ofício, pelos Tribunais da Inquisição da Igreja Católica.

No interior do Brasil ainda existem muitas rezadeiras que são procuradas para aliviar os mais diversos males. Algumas são parteiras e todas têm em seus quintais plantas que curam, como: olho de goiabeira, para dor de barriga; mastruz, para catarro e gripe; romã, para garganta inflamada; sabugueiro, para febre; capim-santo, para digestão; erva-cidreira e erva-doce, para acalmar. Elas invocam os santos nas horas das dores dos doentes: dor de dente (Santa Apolônia), doenças dos olhos (Santa Luzia), na hora do parto (Nossa Senhora do Bom Parto), nos engasgos (São Brás), nas picadas de cobras (São Bento), para os animais (São Francisco), para azia (Santa Sofia). Segundo a escritora e antropóloga Alda Rizzo, a rezadeira pode ser considerada uma cientista e médica popular, porque “possui uma maneira muito peculiar de cura, ou seja: combina os aspectos místicos da religião e os truques da magia aos conhecimentos da medicina popular”, afirma.

Dona Belinha, de 76 anos, é uma das poucas rezadeiras que ainda existem na periferia de São Paulo. Quando alguém pede para rezar, para curar quebranto, mau-olhado, espinhela caída ou engasgo, Dona Belinha vai no quintal buscar um ramo verde e, com ele, mais um pedaço de pano, agulha e linha para fazer sua reza de cura e diz : “Curar é dom de Deus. Vou rezando e cozendo o pano e quando a reza termina e dou o último ponto na costura, a pessoa doente está curada, com os poderes de Deus.” Ela aprendeu o ofício de rezar com sua mãe, Dona Josefa, que benzia os doentes no Rio Grande do Norte, mas não passou para ninguém a sua tradição de rezadeira.

Orações mais populares:

Reza contra a tentação do demônio (deve ser rezada somente às terças e sextas-feiras)
“Em louvor do Santíssimo Sacramento do Altar, a minha casa vou benzer e defumar, e que todos os males existentes na mesma, que vão para casa de quem nos desejar” (repetir a última expressão três vezes). Enquanto se faz a repetição, bate-se com o pé esquerdo três vezes. No final reza-se um Pai-Nosso

Para afastar mau-olhado
“Deus encante quem te encantou, dentro deste corpo este mal entrou, assim como o sol nasce na terra e se põe no mar, que todos estes males para lá vão passar”

Reza para acabar com quebranto
“Jesus seja comigo
E Jesus fale por mim
Se Jesus falar por mim
Não haverá quem se oponha
Contra mim”
Esta oração deve ser pronunciada ao meio-dia ou à meia-noite, depois do que defuma-se a criança que tem quebranto, acrescentando:
“Nossa Senhora defumou
O seu amado Filhinho
Pra cheirar
Eu a ti, se te defumo
É pra sarar”

Oração de Santa Bárbara
“Ó Santa Bárbara, que sois mais forte que as torres das fortalezas e a violência dos furacões, fazei que os raios não me atinjam, os trovões não me assustem e o troar dos canhões não me abalem a coragem e a bravura. Ficai sempre ao meu lado para que eu possa enfrentar de fronte erguida e rosto sereno todas as tempestades e batalhas da minha vida, para que, vencedor de todas as lutas, com a consciência do dever cumprido, possa agradecer a vós, minha protetora e render graças a Deus, criador do céu e da terra. Este Deus que tem o poder de controlar o furor das tempestades e abrandar a crueldade das guerras. Amém.”

Oração contra queimaduras:
“O fogo não tem frio, a água não tem sede, o ar não tem calor, o pão não tem fome;
São Lourenço, curai estas queimaduras pelo poder que Deus vos deu.
” Fazer o sinal da cruz e oferecer um Pai-Nosso para São Lourenço

Oração contra espinha na garganta:
Homem bom
Mulher má
Casa varrida
Esteira rota
Senhor São Brás
Disse a seu moço
Que subisse
Ou que descesse
A espinha do pescoço”

Oração contra o soluço:
Doente:
- Que bebo?
Benzedeira
- Água de Cristo
Que é bom para isto

Outra oração para acabar com soluço é dizer-se, bebendo água aos goles:
Soluço vai
Soluço vem Soluço vai
Para quem te quer bem