S. J. do Rio Preto - Quinta, 31 de julho de 2014 




 
 
Notícias
Diarioweb Busca de Notícias

 
Arquivo de Notícias
Carnaval
Dossiê Diário
A inteligência contra o crime
Diário Olímpico
AgroDiário
A vida como ela é
Barretos
100 anos da imigração japonesa no Brasil
Beira D Água
Rio Preto 157 anos
Copa 2002
Charge
Cidades
Chame o Diário
Diário História
Copa 2006
Comportamento
Economia
Copa Diário/Sesc
CPI Banestado
Jogos Abertos
Rio Preto 156 anos
AgroDiário
Expo Rio Preto
Educação
Eleições
Santa Europa
Esportes
Rio Preto 154 anos
Meio Ambiente
Guerra no Golfo
Política
Paz no Trânsito
Revista Bem Estar
Rio Preto 153 anos
Saúde
Semae
Sua Casa
Tecnologia
Turismo
Últimas Notícias
Veículos
Zé Buracão
Divirta-se
Cinema
Teatro
Eventos e Shows
Galeria de Fotos
Coluna Social
Horóscopo
Diário Imagens
Opinião
Artigos
Bastidores
Coluna do Diário
Defesa do Consumidor
Dividida
Editorial
Flash Bola
Opinião do Leitor
Proteja-se!
Mário Luiz sabe o que diz
Serviços
Loterias
Estradas
Mapa do site
Notas de Falecimento
Contato
Nossos telefones
Fale Conosco
Disque Denúncia
Anuncie
Chapa acrílica
Truque da placa engana radar
  Reprodução  
Placa de acrílico (detalhe) colocada no carro atrapalha visualização dos números

Giseli Marchiote e Jocelito Paganelli

Os mecanismos usados por motoristas para a burlar os radares eletrônicos e evitar multas estão mais sofisticados. O dono de um automóvel acoplou na placa do carro uma chapa de acrílico para dificultar a leitura dos números pelo equipamento eletrônico. O veículo foi flagrado acima da velocidade permitida na avenida Danilo Galeazzi, no dia 22 de junho, por volta das 8h50. O motorista trafegava a 71 quilômetros por hora e foi fotografado pelo radar instalado na via. Somente no momento da emissão da multa a Secretaria de Trânsito de Rio Preto descobriu a fraude cometida pelo motorista. O acrílico instalado na placa traseira do carro impediu a visualização correta dos números e a multa não pôde ser emitida. “O reflexo proporcionado pela suposta proteção confundiu o radar", afirma o secretario de Trânsito, Rui Giorgi.

Assim que detectou a irregularidade, a Secretaria enviou comunicado a Polícia Militar, ao Ciretran e ao estabelecimento que realiza o emplacamento dos veículos informando sobre o flagrante e alertando sobre a proibição do uso desse equipamento. O delegado da Ciretran, Antonio Joaquim Siqueira, acredita que o órgão tenha sido notificado e explica que a responsabilidade sobre a fiscalização desse tipo de infração não é dele. “O papel da Ciretran não é fiscalizar esse tipo de irregularidade”, afirma.

Além do veículo flagrado pelo radar, outros carros foram apreendidos pela Polícia Militar por usar o equipamento, número ainda não quantificado. De acordo com o tenente Milton Fábio Zanini, os policiais já foram instruídos para multar e apreender o veículos que possuem a placa de acrílico (alguns veículos têm uma placa parecida com a usada pelo infrator, mas que serve de proteção e não para burlar a lei). “Já notificamos a Casa Verre, para não vender mais este tipo de acessório, mesmo que seja um modelo que não interfira na visualização”, afirma. Em Rio Preto apenas a Casa Verre é autorizada pela Ciretran para emplacar veículos, Uma funcionária da empresa informou que no local não é mais vendido o equipamento de acrílico, apenas as placas permitidas por lei.

A Secretaria de Trânsito garante que esse ano é o primeiro flagrante de motorista que tenta burlar um radar eletrônico instalado na cidade. Além da placa de acrílico, é possível ver pelas ruas motoristas que amarram fitinhas no lacre da placa, que colocam CDs, alteram os números com fita isolante e até mesmo compram sprays que prometem deixar os números invisíveis aos olhos do radar. O Código Brasileiro de Trânsito determina punições em seu artigo 230, incisos 1º e 6º, aos motoristas que impedirem a fiscalização. O condutor que violar qualquer elemento de identificação do veículo ou transitar com placas sem condições de leitura será multado em R$191,54 e vai perder sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, já que a infração é gravíssima. Além disso, o veículo é recolhido só liberado com a regularização.

Spray promete ofuscar radar
Se a fitinha não funciona e o CD não traz o efeito desejado para enganar os radares, sites na internet oferem sprays que prometem “apagar” os números das placas diante de um radar e assim impedir a multa por excesso de velocidade. “Basta uma "demão" semanal de spray em cada placa para proteger seu veículo de fotos indesejadas. Se fotografada, a placa de seu veículo irá refletir a luz do flash, fazendo que a placa fique branca na foto”, garante o anúncio. Através dos endereços eletrônicos é possível comprar em qualquer lugar do Brasil uma unidade com 60 ml do spray milagroso. Para aqueles que acharem que a quantidade não é suficiente, um kit com três unidades de 120 ml cada sai por R$250,00. Os vendedores garantem eficiência comprovada e exibem fotos mostrando o produto em uso. A prática é crime prevista no Código Brasileiro de Trânsito e pode render a apreensão do veículo, multa, além do motorista infrator perder sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

4 formas de ‘enganar’ os radares


>> Veja alguns dos recursos mais comuns utilizados pelos motoristas para evitar a detecção por radar:




1 - Fitinhas amarradas no lacre da placa


2 - Colocação de um CD nas placas para refletir a luz


3 - Spray anti-radar para que os números "sumam"


4 - Fita isolante nos números

Conheça São José do Rio Preto

Grupo Diário de Comunicação
Jornal Diário da Região: Quem faz o jornal | Assine o jornal | Anuncie no jornal
FM Diário:
Quem faz a FM Diário | Anuncie na FM Diário
Site Diarioweb:
Quem faz o site | Assine o Diarioweb | Mapa do site
Revista Vida&Arte: Quem faz a Revista | Anuncie na Revista
©Copyright 2000 - Todos os direitos reservados ao Grupo Diário de Comunicação - São José do Rio Preto-SP Brasil
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast ou redistribuído sem prévia autorização.
Resolução mínima de 800x600